Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
Aline Wirley é uma das participantes do BBB 23 que possui um relacionamento aberto
Aline Wirley é uma das participantes do BBB 23 que possui um relacionamento aberto - Foto: Instagram / @alinewirley

Amor e Sexo

Relacionamento aberto: especialista explica o que é a não-monogamia

Esse tipo de relação surge da decisão consensual de um casal de se envolver com outras pessoas; entenda melhor

O Big Brother Brasil 23 já começou! O reality show é responsável por colocar diversos assuntos em pauta na vida dos brasileiros, entre eles o relacionamento aberto. Isso porque Aline Wirley e Fred Nicácio, participantes do grupo Camarote, são não-monogâmicos e estão abertos a ficar com outras pessoas no programa.

E diferentemente do que muita gente pensa, esse tipo de relação exige muita responsabilidade e conversa. Para desmistificar melhor o assunto, convidamos o psicólogo e especialista em relacionamentos Alexander Bez, para responder uma série de dúvidas frequentes sobre o assunto. Confira a seguir!

Como funciona o relacionamento aberto?

Segundo o especialista, uma dos pontos cruciais acerca do relacionamento aberto são os “contratos psicoemocionais”. Essas são as regras que casais estabelecem sobre o que é permitido ou não em seu combinado. Além disso, existem outros aspectos pouco explorados como a traição. E sim, ela existe!

Tudo depende do que foi estabelecido pelo casal quando houve a abertura do relacionamento, mas há regras em comum entre todos que adotam essa forma de se relacionar. “Contatos íntimos-sexuais sem proteção não são permitidos, uma vez que expõe a relação ao perigo de ISTs. Vale também ressaltar de que não são todos os membros do casal, que aderem a uma relação aberta. Um dos dois pode aderir, enquanto a outra parte prefere não aderir”, explica Alexander.

Funciona para todo mundo?

O mundo dos relacionamentos é extremamente amplo e complexo. Então o que pode funcionar para uns, pode não funcionar para outros. “Para aderir em uma relação aberta, tem que haver uma pré-disposição psicossexual, desprovida de ciúmes e também de curiosidade sobre o que se faz com a outra pessoa”, comenta.

Alexander Bez explica também que o relacionamento aberto vai muito além da monogamia envolvida. A adoção dessa forma de se relacionar pode ter a ver com a curiosidade e entendimento dos próprios sentimentos. Assim como existem aqueles que, quando estão em um relacionamento, não sentem a necessidade de se envolver com mais nenhuma outra pessoa.

A não-monogamia pode ser uma maneira de preservar um relacionamento que está em crise ou até mesmo uma fase momentânea. “Os motivos os quais levam as pessoas a aderirem são variáveis, podendo ser mais longos, ou passageiros”, finaliza o especialista em relacionamentos.

Mais notícias como essa

Receitas

Rico em vitaminas, minerais e fibras, inhame ajuda a reduzir o colesterol, auxilia no controle das cãibras e melhora a saúde intestinal

Estilo de Vida

Se você tem sentido a falsidade das pessoas ao seu redor te afetando, experimente esses rituais poderosos contra isso

Amor e Sexo

Urinar após o sexo, evitar preservativos com aromas e outras práticas podem ajudar no combate à doenças e desconfortos

Comportamento

Pesquisa realizada por universidade londrina apontou que 63% dos pais nunca falaram sobre morte com os filhos pequenos