Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
Tratamento tem como principal objetivo a saúde do couro cabeludo e dos fios de cabelo; especialista explica os benefícios
Terapia capilar ajuda a manter os cabelos saudáveis - Foto: Shutterstock

Beleza

Terapia capilar: entenda o que é e como funciona

Tratamento tem como principal objetivo a saúde do couro cabeludo e dos fios de cabelo; especialista explica os benefícios

Já ouviu falar em terapia capilar? Trata-se de um tratamento individualizado e tem como objetivo principal a saúde do couro cabeludo e dos fios de cabelo.  Busca tratar e prevenir algumas disfunções que acometem a região, como a dermatite seborreica, caspa, oleosidade e a queda dos fios, visando reestabelecer a saúde capilar. 

Segundo a Dra. Elizabeth Borgo, diretora de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) da Ecosmetics, na terapia capilar podem ser utilizados alguns equipamentos e técnicas manuais, além de produtos como: óleos essenciais, vegetais e cosmecêuticos, vegetais e cosmecêuticos de acordo com o que será tratado.

Como funciona?

Na sessão de terapia capilar uma avaliação (anamnese) detalhada é realizada por um profissional que escuta a queixa do paciente. A partir dessa queixa, realiza-se a análise do couro cabeludo e haste capilar, onde é possível diagnosticar as causas que podem estar relacionadas.

“Com base no diagnóstico, são realizados tratamentos personalizados que incluem o uso de produtos específicos, como shampoos, condicionadores, máscaras e séruns”, explica a especialista.

Além disso, técnicas como massagens capilares e, em alguns casos, terapias avançadas como a laser ou luz LED também contribuem no tratamento. “O objetivo é tratar problemas existentes e prevenir futuros, melhorando a saúde geral do couro cabeludo e dos cabelos”, complementa.

Quem pode fazer?

O tratamento avalia a saúde do cabelo e do couro cabeludo. “A terapia capilar é indicada para pessoas de todas as idades que enfrentam problemas capilares. Ou simplesmente para aqueles que desejam manter o couro cabeludo e os cabelos saudáveis preservando a microbiota em equilíbrio”, diz Dra. Elizabeth.

Não há restrições específicas de gênero ou idade; qualquer pessoa que busque melhorar a saúde e aparência dos cabelos pode se beneficiar da terapia. É importante, porém, buscar um profissional qualificado para realizar uma avaliação adequada e recomendar o tratamento mais adequado.

Há contraindicações?

A terapia capilar pode ter contraindicações para pessoas com condições específicas de saúde, como lesões no couro cabeludo, infecções, ou sensibilidade a ingredientes de algumas formulações cosméticas. Mulheres grávidas ou lactantes também devem consultar um profissional antes de iniciar o tratamento devido a potenciais riscos.

“É essencial buscar orientação de um terapeuta capilar para avaliação e recomendação de tratamento adequado”, alerta a profissional. De acordo com ela, a parceria com outros profissionais contribui muito para a melhora do paciente e resultados satisfatórios.

Quais os resultados?

A terapia capilar pode auxiliar na redução da queda capilar, melhora da patologia como caspa e oleosidade, ter os fios saudáveis (mais força, brilho e maciez) estímulo ao crescimento de novos fios, melhora na textura e volume do cabelo. Conforme a pesquisadora, os benefícios tendem a aparecer gradualmente no decorrer do tratamento.

“O resultado vai depender tanto do paciente quanto do terapeuta capilar e sua formação e nível de conhecimento, identificando de modo assertivo o melhor tratamento e quais produtos utilizar assim como as dosagens adequados para cada caso”, finaliza a especialista. 

Mais notícias como essa

Comportamento

Está sem criatividade do que compartilhar ou enviar para seu par nesse Dia dos Namorados? Inspire-se com essas belas mensagens de amor

Pets

A flora intestinal dos animais de estimação desempenha um papel importante na manutenção do equilíbrio do organismo

Moda

Inspirada na estética esportiva de tenistas, o tenniscore está em alta no universo da moda; saiba como aderir

Comportamento

Especialista explica o termo “vínculo fantasma”, que tem sido muito discutido nas redes sociais e pode ser confundido com o ghosting