Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
O mês de agosto recebe a cor lilás para simbolizar o combate à violência contra a mulher
O mês de agosto recebe a cor lilás para simbolizar o combate à violência contra a mulher (Crédito: Shutterstock)

Comportamento

Agosto Lilás: caso de mulher agredida na academia acende alerta

No mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher, a moça foi agredida publicamente por um homem; conheça o Agosto Lilás

O Fantástico deste domingo (28) exibiu, com exclusividade, vídeos de uma modelo sendo agredida por um empresário em uma academia luxosa de São Paulo. Nas imagens, Thiago, o agressor, cerca Helena, a mulher agredida, enquanto ela se exercita. Passado um tempo, ele parte para cima dela com empurrões, agressões verbais, cuspes e puxões de cabelo.

O caso aconteceu no dia 3 desse mês, conforme mostram os registros das câmeras de segurança. Vale lembrar que agosto é conhecido como “Agosto Lilás”, um mês de conscientização e luta pelo fim da violência contra as mulheres.

Ao programa da Rede Globo, Helena contou que não abaixou a cabeça e, mesmo protegida por funcionários e alunos da academia, Thiago continuou a agredi-la. No dia seguinte, inclusive, fotos mostram tufos de cabelo encontrados na sala onde ocorreu a violência.

Números que crescem

Desde a pandemia da Covid-19, os dados da violência contra a mulher, sobretudo a doméstica, não pararam de crescer. Isso porque muitas dessas mulheres moravam com seus agressores e, ao passar mais tempo com eles, as agressões aconteciam com mais frequência.

Segundo o 16° Anuário Brasileiro de Segurança Pública, realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) neste ano, foram relatados 632 casos de agressão física contra a mulher por dia em 2021. Além disso, foram registradas também quase 600 mil ameaças. Quando analisado por estado, São Paulo tem o maior índice de violência doméstica, com 51.955 registros apenas no ano passado.

Violência não é só física

Embora seja comum associar a violência aos tapas, empurrões e outras agressões físicas, ela não se trata apenas disso, sabia? A violência contra a mulher pode se manifestar em diferentes tipos, conforme previsto na Lei Maria da Penha. São eles:

  • Violência física: tudo aquilo que ofende a saúde corporal da mulher, como espancamento, sufocamento, tortura, ferimento e até mesmo atirar objetos;
  • Violência psicológica: ameaças, isolamento, proibições, humilhação, manipulação, insultos, entre outras condutas que afetam o psicológico e emocional;
  • Violência sexual: estupro, impedimento do uso de métodos contraceptivos, limitação do direito à reprodução humana, gravidez e matrimônio forçados, e obrigar atos sexuais que causem desconforto ou repulsa;
  • Violência patrimonial: controle de dinheiro, extorsão, privação de bens ou valores econômicos, danos propositais a bens e objetos, furto e deixar de pagar a pensão alimentícia;
  • Violência moral: acusações de traição, exposição da intimidade, rebaixamento por xingamentos e humilhações, desvalorização pelo modo de se vestir e críticas mentirosas.

Como denunciar

Assim como qualquer outro crime, a violência contra a mulher precisa ser denunciada. Por isso, lembre que, mesmo o homem sendo pai, marido, avô ou um desconhecido, ele é, acima de tudo, um agressor e precisa ser punido.

Dessa forma, o movimento Agosto Lilás ensina como denunciar o crime: ligue gratuita e anonimamente para 180, um canal que funciona 24 horas por dia. Lembre-se que a vítima não é a única que pode denunciar o crime, viu? Amigos, familiares e até vizinhos também podem fazer essa denúncia. Denuncie!

Mais notícias como essa

Comportamento

No inverno, dá muita vontade de passar o dia inventando coisas divertidas em casa mesmo, né? Veja opções para fazer na estação

Receitas

Cada um dos tipos de banana pode ser melhor para determinados usos ou dependendo do seu gosto; confira as características dos mais comuns

Beleza

A leitura e compreensão das informações que constam nas embalagens é fundamental para evitar problemas durante o uso de produtos cosméticos

Saúde

Sensação de cansaço excessivo na menopausa é um sintoma comum, mas que exige atenção em alguns casos