Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
É importante estar atento aos comportamentos que acontecem em um lugar tóxico
É importante estar atento aos comportamentos que acontecem em um lugar tóxico (Crédito: Shutterstock)

Comportamento

Será que você trabalha em um lugar tóxico? Veja 10 sinais

Trabalhar em um lugar tóxico prejudica a vida profissional e a saúde mental, sabia? Saiba identificar se o seu trabalho é assim

O trabalho é uma parte essencial na vida da maioria das pessoas, afinal, é dali que elas retiram seus sustentos. Contudo, alguns fatores podem tornar o ambiente profissional mais difícil. Entre eles, dá para citar, por exemplo, o fato de exercer uma profissão ou ocupar um cargo com o qual não se tem tanta afinidade. Além dessa, outra possibilidade é gostar do que faz no emprego, mas descobrir que ali é um lugar tóxico.

Dessa forma, comportamentos tóxicos tendem a tornar o clima do local mais pesado e dificultam a rotina de atividades, bem como o relacionamento entre os colaboradores. Mas, afinal, o que fazer nesses casos?

Segundo o consultor estratégico Daniel Alves, o primeiro passo é identificar sinais bem comuns de um lugar tóxico e, depois, aprender estratégias para resolver a questão — e isso cabe sobretudo à gestão, viu?!

“Um ambiente assim influencia diretamente na performance da equipe e impacta no desempenho e nos compromissos diários. Por exemplo, você dificilmente verá um time fazer mais do que o básico, caso o local de trabalho seja um lugar tóxico”, considera o consultor.

10 sinais de que você trabalha em um lugar tóxico

A desconfiança não costuma aparecer à toa, não é mesmo? Portanto, é bem capaz que você já tenha notado alguns indícios desses comportamentos na empresa. Para ter certeza, confira os sinais abaixo!

Esses primeiros cinco indícios estão relacionados ao modo de agir dos funcionários:

  • Existem muitas reclamações por parte dos colaboradores: além de desmotivador, esse hábito de reclamar pode gerar infelicidade na equipe;
  • Procrastinação sem limites: quando o funcionário tende a deixar tudo para depois e atrasar as entregas, todo mundo pode ser prejudicado;
  • Fofocas e intrigas: quando se escolhe usar o tempo de trabalho para falar mal dos colegas, tem algo errado, viu?
  • Arrogância: agregar conhecimentos e tecer críticas construtivas são atitudes bem-vindas na vida profissional. Porém, usar desse saber de forma arrogante e se sentir superior não faz bem à equipe;
  • Falta de gentileza: se gentileza gera gentileza, o oposto também é verdadeiro, não acha? Assim, ser rude pode trazer alguns problemas ao time.

Agora, os próximos cinco sinais se referem ao ambiente como um todo, mostrando se ali é, de fato, um lugar tóxico:

  • Negatividade ou negligência dos líderes: cabe aos gestores manter um bom agradável para influenciar positivamente aquela equipe, sabia? Do contrário, ao negligenciarem um fluxo de trabalho, por exemplo, estão colocando em risco todo o time e a produção;
  • Relacionamentos conflituosos: muitas discussões e desentendimentos costumam ser o primeiro ponto a levantar a desconfiança de toxicidade;
  • Pouco engajamento: o ambiente tóxico costuma levar os profissionais a não darem tudo de si nos trabalhos e demandas;
  • Demissões e contratações frequentes: a alta rotatividade de colaboradores leva à fama de “ninguém consegue ficar nessa empresa”, dando uma impressão ruim do local;
  • Desgaste: por fim, quando as coisas não vão bem, a situação vai desgastando e chegando ao seu limite. Assim, com um clima insuportável no ambiente, é possível — e comum — que o funcionário opte pela demissão.

Como resolver (e evitar) esse problema

Para Daniel, uma equipe mentalmente saudável gera três grandes resultados: maior produção, maior alegria e, consequentemente, melhora no local de trabalho. Desse modo, esses fatores por si só devem ser suficientes para que gestores reconheçam a importância de pensar na saúde mental do grupo.

Assim, algumas medidas podem ser tomadas para driblar a toxicidade, sabia? Entre elas, o consultor destaca as seguintes: disponibilização de um canal de feedback, oferta de benefícios relacionados ao bem-estar, treinamento das lideranças, apoio aos colaboradores, promoção de atividades físicas, interação entre a equipe, realização de eventos voltados para a saúde mental e até readequação do trabalho.

E aí, ficou curiosa para saber mais? Confira este vídeo sobre o assunto:

Fonte: Daniel Alves, consultor estratégico da NID Consultoria.

Mais notícias como essa

Comportamento

No inverno, dá muita vontade de passar o dia inventando coisas divertidas em casa mesmo, né? Veja opções para fazer na estação

Receitas

Cada um dos tipos de banana pode ser melhor para determinados usos ou dependendo do seu gosto; confira as características dos mais comuns

Saúde

Sensação de cansaço excessivo na menopausa é um sintoma comum, mas que exige atenção em alguns casos

Beleza

A leitura e compreensão das informações que constam nas embalagens é fundamental para evitar problemas durante o uso de produtos cosméticos