Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
Alopecia: conheça a doença que será abordada na novela “Vai na Fé”
A alopecia é uma doença que afeta tanto homens quanto mulheres - Foto: Shutterstock

Saúde

Alopecia: conheça a doença que será abordada na novela “Vai na Fé”

Condição provoca a queda de cabelo e pelos em diferentes partes do corpo; veja a causa, sintomas e tratamento

A novela das 7 da TV Globo, “Vai na Fé”, abordará nos próximos capítulos a alopecia, condição em que ocorre a perda de cabelo em parte da cabeça ou do corpo. Marlene (Elisa Lucinda) revelará a doença e contará com a ajuda de uma amiga para tratá-la. Atualmente, estima-se que de 1% a 2% da população sofra com esta condição. 

Muitas vezes, a alopecia só é diagnosticada quando compromete cerca de 25% a 30% da quantidade normal de cabelos. O médico e tricologista Dr. Ademir Carvalho Jr. afirma que, ao menos, ¼ dessa densidade total é perdida ou prejudicada de alguma forma pela ação da doença.

Tipos de alopecia

Alopecia areata

Este tipo causa uma queda de cabelo intensa devido a fatores autoimunes, genéticos ou emocionais, caracterizada por uma falha circular no couro cabeludo. “Em alguns casos, pode ocorrer a queimação antes da queda e, ao cair o cabelo, placas brancas ficam visíveis e os fios ao redor delas ficam mais sensíveis ao toque e podem cair com facilidade”, explica o médico. 

A alopecia areata não tem cura definitiva, porém o acompanhamento adequado pode controlar os sintomas. O tratamento é feito por um dermatologista e varia de acordo com a gravidade do caso. “Ele pode ser feito com injeções de cortisona, aplicação de cremes com corticosteróides ou pomadas no couro cabeludo para estimular os folículos a produzirem os fios”, revela. 

Alopecia cicatricial

A alopecia cicatricial ocorre quando alguma inflamação danifica os folículos capilares, impedindo a produção de fios no local. “Elas costumam ser mais preocupantes e requerem urgência no diagnóstico correto e no tratamento, uma vez que sua perda capilar pode ser irreversível”, alerta o Dr. Ademir.

Isso se deve ao fato de que as células-tronco presentes no folículo, responsáveis por reiniciar o ciclo de crescimento capilar, foram destruídas, resultando em uma redução permanente da densidade de folículos pilosos na região atingida pela doença.

O médico conta que casos como estes são muito comuns, e este tipo de alopecia muitas vezes está relacionado a:

  • Lúpus eritematoso cutâneo;
  • Líquen plano pilar;
  • Foliculite decalvante,
  • Alopecia fibrosante frontal.

Alopecia não cicatricial

A alopecia do tipo não cicatricial pode ser acompanhada de uma inflamação mais branda que não provoca danos permanentes ao paciente, sendo, assim, tratável. Através do tratamento, é possível manter os cabelos em quantidade e qualidade normais ou muito próximo a isso.

Conforme o especialista, essa perda de fios surge de distúrbios capilares que não resultam em aspecto cicatricial do couro cabeludo, como alopecia areata, eflúvios e alopecia androgenética.

Consulte um médico

Distúrbios capilares como a alopécia não oferecem risco à vida, no entanto, podem ser sinal de uma doença mais grave, como tumores secretantes e lúpus eritematoso sistêmico, por exemplo. Ainda assim, é importante ter em mente que elas afetam significativamente a saúde e, por isso, merecem atenção. Portanto, se você sofre com queda de cabelo, procure ajuda médica para identificar a causa e iniciar o tratamento.

Mais notícias como essa

Moda

Nesse momento de oscilação entre frio e calor conhecido como meia-estação, é preciso peças que se adaptem bem a diferentes temperaturas

Estilo de Vida

Influenciadora e especialista em Lei da Atração, Nanda Silveira lista as melhores técnicas de manifestação para encontrar sua alma gêmea

Astrologia

Saiba qual das fases da lua é a melhor para cada tipo de procedimento, tratamento ou mudança nos cabelos e por quê

Saúde

Ginecologista explica as causas da enxaqueca menstrual e como amenizar o incômodo provocado pela condição