Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
Saiba quais são os principais sintomas de ansiedade nas crianças
Saiba quais são os principais sintomas de ansiedade nas crianças - Foto: Shutterstock

Saúde

Ansiedade: saiba como reconhecer os sintomas em crianças

Conheça os principais tipos de ansiedade que atingem as crianças e os adolescentes e veja quando buscar ajuda

A ansiedade é uma reação natural do nosso cérebro que serve para nos alertar em cenários adversos e desconhecidos, em que precisamos nos proteger. Sendo assim, ela pode ocorrer diante de diversas situações. No caso das crianças, é comum antes de uma viagem, datas festivas ou no retorno às aulas, por exemplo. 

Agora, quando essa sensação é vivida diariamente, de forma mais intensa, a ansiedade pode ser classificada como uma doença e deve ser investigada por um especialista, como esclarece a psicóloga Cristiane Duez V. Santos.

“A medida para entender a ansiedade como patológica, é o quanto os sintomas prejudicam as atividades do dia a dia. Os sinais mais comuns em crianças são: dores de cabeça, dor de estômago e tensão muscular. Lembrando que, os sintomas físicos em crianças, são diferentes dos adultos”, explica.

O tratamento da ansiedade em crianças inclui medicação e psicoterapia
O tratamento da ansiedade em crianças inclui medicação e psicoterapia – Foto: Shutterstock

Segundo a psicóloga, a puberdade precoce é um dos principais vilões da ansiedade e estresse na infância e adolescência, além do estilo de vida. Por isso, estimular hábitos saudáveis e reduzir o tempo que a criança passa frente à tela do celular, tablet ou computador, podem auxiliar no seu desenvolvimento. 

“O diagnóstico e tratamento precoce também podem evitar consequências negativas na vida da criança. Muitas vezes é necessário o uso de medicamentos, associados à psicoterapia, em especial a terapia cognitiva comportamental”, completa.

A seguir, a especialista aponta os tipos de ansiedade mais comuns em crianças e adolescentes e como identificar o problema:

Ansiedade por separação dos pais

Apresenta-se com um medo irreal de que algo muito ruim aconteça com eles ou com seus pais, quando se afastam de seus olhos.

Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)

Caracteriza-se pela presença de preocupações excessivas e incontroláveis sobre diferentes aspectos da vida. Apesar de preocupações serem uma manifestação de ansiedade bastante comum e fazerem parte da experiência humana, crianças diagnosticadas com TAG mostram uma duração maior desse estado ansioso.

Transtorno de Ansiedade Social ou Fobia Social (TAS)

É mais comum em crianças com até 2,5 anos que tendem a não se sentir confortáveis perto de pessoas que não fazem parte de sua família. Após este período, se o estranhamento continuar e interferir na construção da socialização, é possível que este desconforto tenha se tornado patológico.

Como identificar a ansiedade nas crianças?

Os pais podem identificar os sintomas de ansiedade, observando seus filhos em algumas situações. É importante ficar atento se a criança apresenta dificuldade de concentração, irritabilidade, preocupação excessiva com situações rotineiras, pesadelos frequentes, dificuldade em aprender coisas novas e dificuldades em superar algumas fases, como, por exemplo, o desfralde ou mesmo deixar a chupeta e a mamadeira.

Quais sintomas devem ser observados nas crianças?

Sintomas podem surgir de formas alternadas, com períodos mais ou menos frequentes e de maior ou menor intensidade e duração. O importante é estar atento ao grau de desconforto e interferência que eles estejam causando na rotina da criança como alterações no apetite, dificuldades no sono, queda no rendimento escolar, desmotivação, medos e preocupações excessivas, dores de cabeça, tonturas, timidez ou retraimento social, oscilação de humor e irritabilidade ou apatia.

Como amenizar o problema? 

O problema pode ser amenizado com a prática de exercícios físicos e atividades prazerosas, ensinar a criança a esperar sua vez e a fazer suas escolhas de forma consciente e evitar recompensá-la, de forma excessiva, a cada atitude que tenha.

Fonte: Cristiane Duez V. Santos, psicóloga do NAPP (Núcleo de Apoio Psicológico e Psicopedagógico) da Faculdade Santa Marcelina.

Mais notícias como essa

Saúde

Cobertores, casacos e blusas mal higienizadas podem provocar crises de rinite e outras alergias respiratórias

Amor e Sexo

Levantamento realizado pelo aplicativo de relacionamentos happn apontou as regiões do Brasil onde as pessoas dão os melhores beijos

Receitas

Ama um café coado quentinho de manhã? Então descubra como deixá-lo ainda mais perfeito com essas dicas simples

Comportamento

Psicanalista analisa estupro matrimonial exposto no “Casamento às Cegas” e explica os sinais desse tipo de violência dentro do relacionamento