Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
Ultrassom de um caso de gravidez ectópica
Ultrassom de um caso de gravidez ectópica - Foto: Shutterstock

Saúde

Gravidez ectópica: o que é, sintomas e como tratar a condição

O diagnóstico precoce é fundamental para reduzir os riscos de uma gravidez que pode ser fatal para a gestante

O sonho de ser mãe, muitas vezes, pode vir acompanhado de alguns obstáculos. A gravidez ectópica está entre eles. A condição, considerada de risco para a mulher, ocorre quando o embrião se fixa e começa a se desenvolver fora do útero, tornando a gestação inviável. 

O ginecologista e obstetra, Dr. Alexandre Rossi, explica que em uma gravidez normal, o óvulo é fertilizado na trompa de Falópio e segue em direção ao útero, onde permanece até o final da gestação. No entanto, por diversos motivos, a trompa pode apresentar algum estreitamento ou bloqueio, impedindo a passagem do embrião. 

Nesses casos, a gestação não ultrapassa 16 semanas, muito antes do tempo necessário para a sobrevivência do feto. Por este motivo, o diagnóstico precoce é fundamental para minimizar possíveis complicações para a saúde da mulher. 

“Cerca de 2% das gestações são uma gravidez ectópica, mas após a primeira ocorrência, a probabilidade de recorrência é maior”, alerta o especialista. “Por este motivo, gestantes já diagnosticadas com uma gravidez ectópica anterior devem ter cuidado redobrado”, diz. 

Fatores de risco

  • Gravidez ectópica anterior;
  • Procedimento cirúrgico anterior, como um aborto ou uma laqueadura tubária;
  • Anomalias das trompas de Falópio;
  • Uso atual de um DIU (dispositivo intrauterino);
  • Fertilização in vitro na gravidez atual;
  • Uso de contraceptivos orais que contêm estrogênio e progestina;
  • Histórico de doença inflamatória pélvica ou infecções sexualmente transmissíveis (sobretudo por Chlamydia trachomatis);
  • Infertilidade,
  • Tabagismo.

Sintomas da gravidez ectópica

De acordo com o médico, os sintomas da gravidez ectópica variam e podem não ocorrer até o rompimento da estrutura que abriga o embrião. A maioria das mulheres apresentam sangramento vaginal e dor em pontada ou na forma de cólica. Além disso, a menstruação pode ou não estar atrasada, ou ausente, e algumas mulheres não suspeitam que estão grávidas.

Após o rompimento da estrutura, a mulher sente uma dor súbita, forte e constante na parte inferior do abdômen, seguida de uma grande perda de sangue, e, em alguns casos, desmaio e tontura. “Podem ocorrer queda abrupta da pressão arterial (choque) e peritonite (inflamação da membrana que reveste a cavidade abdominal)”, completa Rossi. 

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da gravidez ectópica pode ser realizado através de um exame clínico detalhado, exames laboratoriais. Muitas vezes, também é feito nas primeiras consultas do pré-natal, por meio da ultrassonografia. 

Mas, caso a mulher ainda não saiba da gravidez e haja a ruptura da estrutura onde o embrião está alojado, o médico solicitará um teste para confirmar a gestação, seguido de ultrassonografia transvaginal, para localizar o embrião. 

Dependendo da situação, o médico também poderá usar um tubo com feixes de fibra óptica, chamado laparoscopia, que permite a visualização direta da gravidez ectópica. 

Tratamento

Conforme a localização do embrião e o tempo gestacional, algumas opções poderão ser indicadas, incluindo o tratamento medicamentoso, com metotrexato, ou cirúrgico, como esclarece o especialista.

“O tratamento cirúrgico é realizado por laparoscopia. Um tubo de visualização é inserido na cavidade abdominal através de uma pequena incisão logo abaixo do umbigo e, por meio de instrumentos inseridos através do laparoscópico, a gravidez ectópica é removida”, afirma. 

Além do feto e da placenta, em alguns casos há a necessidade de retirada de outros órgãos danificados pela gravidez ectópica, como a trompa de Falópio ou até mesmo o útero, por meio de uma histerectomia.

Mais notícias como essa

Receitas

Quer comer bastante proteína, mas cansou do ovo? Veja outras fontes desse nutriente que podem ser substitutos do ingrediente

Saúde

Especialista dá dicas para aproveitar as festas juninas de forma equilibrada e manter a dieta saudável

Entretenimento

Vai ficar em casa no Dia dos Namorados para fazer uma programação mais aconchegante? Use esses filmes e aproveite bem o dia!

Comportamento

O uso excessivo de telas prejudica a socialização e a comunicação, além de causar mudanças de humor, atrasos cognitivos e distúrbios no aprendizado