Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
Volta às aulas: dicas para montar uma lancheira saudável
Use a criatividade na lancheira das crianças - Foto: Shutterstock

Saúde

Lancheira saudável: nutricionista dá dicas para montar uma

Aprenda a preparar a lancheira das crianças para garantir uma alimentação segura e nutritiva na escola

Você sabia que o lanche escolar representa, em média, de 20 a 40 refeições no mês? Pois é! Muitas vezes, das cinco refeições que a criança realiza no dia, duas são na escola. Por isso, faz toda a diferença planejar as preparações que os pequenos levam na lancheira para o colégio. 

A nutricionista Renata Guirau explica que para fazer a lancheira dos filhos, os pais podem lançar mão da criatividade para introduzir opções saudáveis às crianças. No entanto, é importante prestar atenção ao armazenamento para garantir a segurança dos alimentos e evitar quadros de intoxicação alimentar. 

Para te ajudar a preparar uma lancheira saudável nesta volta às aulas, a profissional do Oba Hortifruti, preparou uma lista com dicas para deixar o lanche da escola mais nutritivo, atraente, seguro e delicioso. Confira!

Prepare uma lancheira nutritiva

  • Evite os alimentos como bolos prontos, pães ultraprocessados e sucos artificiais, que são carregados de aditivos e açúcares;
  • Inclua sempre uma opção de vegetal, que pode ser uma fruta, tomatinho-cereja, palitinhos de pepino, cenourinha baby ou milho cozido, por exemplo;
  • É importante ter sempre uma proteína, como queijo, iogurte, ovinhos de codorna, patês caseiros ou receitas contendo esses ingredientes;
  • Um alimento rico em carboidrato vai dar a energia necessária para a criança passar o dia bem. Pães artesanais, tapioca, grissinis, pão sueco, pão sírio, pão de queijo, panquecas e bolos caseiros são excelentes opções;
  • Coloque itens que a criança já está acostumada a comer em casa para que consiga se alimentar bem na escola. Caso ela não coma algum grupo alimentar, incentive-a a experimentar, mas sem pressioná-la para não criar um vínculo ruim com a comida.

Uma boa ideia para a lancheira é fazer um lanchinho natural. Confira a receita no vídeo!

Chame a atenção da criança

  • Use recipientes criativos para armazenar o lanche. Potes coloridos e com formatos diferentes são aliados para despertar o interesse na hora da refeição;
  • Guardanapos coloridos e estampados deixam a preparação mais criativa e também fazem sucesso entre os pequenos;
  • Garfinhos infantis, com formatos de animais ou geométricos, ajudam no consumo das frutas picadas e transformam a merenda em uma brincadeira;
  • Cortar os alimentos em formatos variados também é uma boa opção. Dá para usar cortadores próprios ou improvisar com o que tem em casa;
  • Alimentar alguém é uma forma de carinho, que pode ser ainda mais bem expresso com bilhetinhos dentro da lancheira. Vale desejar bom dia, fazer um desenho ou escrever um recado. Use papéis coloridos e solte a criatividade.

Armazene bem a lancheira

  • Use lancheiras térmicas, em bom estado de conservação e isolamento;
  • Se necessário, utilize gelo em gel para garantir melhor temperatura até a hora do consumo. Existem opções coloridas e com formatos variados que as crianças adoram;
  • As bebidas podem ser armazenadas em garrafinhas térmicas, para serem conservadas com mais segurança;
  • Se a criança fica o dia todo na escola, o ideal é usar os itens mais perecíveis em preparações para serem consumidas no período da manhã;
  • Use sempre recipientes bem tampados para que não ocorra vazamento dos líquidos e prevenir que a merenda se espalhe.

Mais notícias como essa

Comportamento

Está sem criatividade do que compartilhar ou enviar para seu par nesse Dia dos Namorados? Inspire-se com essas belas mensagens de amor

Pets

A flora intestinal dos animais de estimação desempenha um papel importante na manutenção do equilíbrio do organismo

Moda

Inspirada na estética esportiva de tenistas, o tenniscore está em alta no universo da moda; saiba como aderir

Comportamento

Especialista explica o termo “vínculo fantasma”, que tem sido muito discutido nas redes sociais e pode ser confundido com o ghosting