Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
Entenda formas de consumir ora-pro-nóbis
Entenda formas de consumir ora-pro-nóbis - Shutterstock

Receitas

Ora-pro-nóbis: entenda as diferentes formas de consumir a planta

Super saudável, a ora-pro-nóbis pode aparecer em chás e várias outras receitas; aprenda como consumir e absorver seus benefícios

Você já deve ter ouvido falar por aí como a ora-pro-nóbis faz muito bem à saúde. Segundo Stella Terassi, nutricionista especializada em Emagrecimento e Saúde da Mulher, a planta é rica em minerais como cálcio, fósforo e ferro e fonte de fibras e vitaminas A, C e do complexo B. Isso sem contar que ela tem ações antioxidantes e anti-inflamatórias.

Você pode, inclusive, cultivar a ora-pro-nóbis em casa mesmo, desde que tome todos os cuidados necessários com ela. Assim, fica bem mais fácil ter folhas sempre que preciso, sem ter que sair para comprá-las.

Entretanto, a dúvida que surge na mente de muita gente sobre a planta é como exatamente consumir essas folhas. Basicamente, existem várias formas de fazer isso, que vão desde o chá de ora-pro-nóbis até saladas com as suas folhas.

Quer aprender melhor como consumir a ora-pro-nóbis? Veja a seguir:

Chá de ora-pro-nóbis

De acordo com Stella, o chá de ora-pro-nóbis pode ser feito com folhas frescas ou secas. Para prepará-lo, ela recomenda os seguintes passos:

  • Colheita e Limpeza: primeiramente, colha algumas folhas frescas de ora-pro-nóbis e lave-as bem para remover qualquer sujeira ou impureza
  • Separação dos ingredientes: separe cerca de 10 a 15 folhas de ora-pro-nóbis e 500 ml de água
  • Preparo: ferva a água. Desligue o fogo e adicione as folhas de ora-pro-nóbis na água quente. Tampe o recipiente e deixe em infusão por 10 minutos, sem ultrapassar esse tempo
  • Finalização: por fim, coe o chá para remover as folhas e sirva quente. Se desejar, adicione mel ou limão a gosto

Outras formas de consumo

A ora-pro-nobis, com seu sabor neutro e sua coloração-verde escura, pode ainda ser consumida de várias outras maneiras. A especialista comenta algumas delas:

  • In natura: as folhas frescas podem ser parte de saladas, desde que estejam bem lavadas
  • Refogado: suas folhas podem ser refogadas com alho e cebola, similar ao preparo de espinafre
  • Sopas e caldos: pode aparecer em sopas e caldos para enriquecer o prato com nutrientes
  • Farofas e virados: é possível adicionar pedaços folhas bem fininhos em farofas e virados
  • Pães, bolos e massas: as folhas podem ser trituradas e adicionadas à massa de pães, bolos e massas, tipo macarrão, panqueca, tortas e nhoque
  • Suco verde: as folhas podem ser batidas no liquidificador com frutas para fazer sucos verdes

A quantidade ideal

Embora não haja uma dose diária mínima estabelecida, a nutricionista recomenda consumir aproximadamente 100 gramas de ora-pro-nóbis por dia para garantir seus benefícios. Essa quantidade equivale a cerca de duas xícaras de chá cheias.

No entanto, ela lembre que é importante variar a dieta e não consumir uma quantidade excessiva de qualquer alimento específico.

Cuidados antes de consumir

Stella explica que é crucial ter atenção com a higienização das folhas, para remover sujeiras e possíveis contaminantes.

Ademais, a sua variedade rosa, conhecida como Pereskia grandifolia, consumida em algumas regiões, precisa de um cuidado ainda maior, pois é rica em oxalato. A substância não é tóxica, mas dificulta a atividade dos rins e do intestino quando consumida em grandes quantidades.

Portanto, se for consumir essa variedade, lave bem em água corrente e prefira consumi-la em refogados.

Mais notícias como essa

Comportamento

Está sem criatividade do que compartilhar ou enviar para seu par nesse Dia dos Namorados? Inspire-se com essas belas mensagens de amor

Pets

A flora intestinal dos animais de estimação desempenha um papel importante na manutenção do equilíbrio do organismo

Moda

Inspirada na estética esportiva de tenistas, o tenniscore está em alta no universo da moda; saiba como aderir

Comportamento

Especialista explica o termo “vínculo fantasma”, que tem sido muito discutido nas redes sociais e pode ser confundido com o ghosting