Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
Entenda as vantagens e desvantagens do procedimento que viralizou no TikTok
Entenda as vantagens e desvantagens do procedimento que viralizou no TikTok (Créditos: Reprodução / Divulgação)

Beleza

Peeling de fenol: entenda as vantagens e desvantagens do procedimento

Após a viralização de um conteúdo nas redes sociais, o peeling de fenol se tornou uma grande tendência; confira se vale a pena apostar no procedimento

O procedimento estético chamado “peeling de fenol” explodiu nas redes sociais nos últimos dias, após a viralização do vídeo de uma mulher que praticamente “trocou de pele” com a técnica. Nesse procedimento, que já existe há algum tempo e pode ser aplicado em níveis mais leves ou mais profundos, a ideia é descamar a pele do paciente até a derme profunda.

Para isso, utiliza-se o fenol, um ácido que provoca uma queimadura de segundo grau na pele. Como resultado, a técnica forma uma nova camada de pele, com uma aparência mais jovem e firme.

@clinicaharmonia

Peeeling de fenol profundo .

♬ You And Me – Lyus

A grande questão é que o peeling de fenol não apresenta apenas vantagens, mas também desvantagens, e não é recomendável para qualquer pessoa. Veja a seguir um pouco mais sobre o procedimento estético:

Vantagens do peeling de fenol

Segundo a dermatologista Fabiana Cório, a principal vantagem do peeling de fenol está no rejuvenescimento da pele de forma rápida, em apenas uma sessão. “Ele promove uma grande renovação celular em uma única vez com muita retração da pele, melhorando muito a flacidez, além da melhora da tonalidade da pele, textura, rugas e qualidade”, explica a especialista.  

Desvantagens

Apesar de seus benefícios estéticos, o peeling de fenol também pode apresentar grandes riscos, especialmente para certos grupos. Isso porque, o procedimento não é uma boa opção para todos os tipos de peles.

“Apenas peles mais claras podem realizar o procedimento. Isso porque há o risco de mudança da cor, deixando a pele numa tonalidade mais clara e pelo risco de aparecimento de manchas escuras também”, diz a Dra. Fabiana. Nesse sentido, a recomendação é de que pessoas de fototipos IV, V e VI da classificação de Fitzpatrick não façam o peeling de fenol.

Além disso, o procedimento também conta com alguns riscos. “Os maiores riscos relacionados ao procedimento são infecções localizadas na pele, cicatrizes, manchas, além de arritmias cardíacas e insuficiência renal”, lista a especialista.

Por essas questões, o peeling de fenol também não é recomendado para pessoas com problemas cardíacos, arritmias, doenças crônicas que estejam fora de controle, feridas ou inflamações na pele, ou acne crônica e inflamada. O procedimento também não deve ser feito por gestantes e lactantes.

Afinal, é recomendável fazer o peeling de fenol?

Segundo a Dra. Fabiana, o peeling pode ser uma opção em alguns casos para áreas pequenas. “Hoje indicaria peeling de fenol para pequenas áreas como ao redor dos olhos, ao redor dos lábios, entre outras áreas. Isso porque é mais seguro e menos tempo de recuperação”, explica ela.

Além disso, a dermatologista comenta que existem outros procedimentos estéticos com resultados bem semelhantes e menos riscos. “Apesar dos ótimos resultados e relativa segurança do peeling de fenol, as tecnologias utilizadas na dermatologia, como lasers fracionados ablativos, alcançam os mesmos resultados, porém com menor tempo de recuperação, menor traumatismo da pele e maior segurança”, conclui a especialista.

Fonte: Dra. Fabiana Cório, dermatologista pós-graduada em Nutrologia

Mais notícias como essa

Receitas

Alimentos termogênicos aumentam a temperatura corporal, acelerando o metabolismo e promovendo a queima de gordura

Saúde

Se não forem tratadas adequadamente, as varizes podem causar desconforto e provocar complicações mais graves

Receitas

Além de deliciosa para comer assistindo a um filminho, a pipoca tem vários benefícios e até emagrece, desde que consumida da forma correta

Beleza

Métodos estão cada vez mais avançados para combater inseguranças, mas podem oferecer riscos durante a gravidez