Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
Conheça as características do lipedema e linfedema e entenda a diferença entre as condições
Lipedema e linfedema são doenças distintas - Foto: Shutterstock

Saúde

Lipedema e linfedema: especialista explica a diferença

Conheça as características do lipedema e linfedema e entenda a diferença entre as condições

Geralmente confundidos, o lipedema e o linfedema são doenças distintas. O primeiro se caracteriza pelo acúmulo de gordura nos braços, coxas e pernas. Além da gordura, é comum surgir equimose (roxinhos) nas áreas afetadas, sensibilidade e dor ao toque, sensação de peso e cansaço nas pernas, fadiga e pode até comprometer a mobilidade.

O diagnóstico de lipedema é clínico, e depende de uma boa anamnese (conversa com o paciente) e exame físico. Exames complementares como ultrassom e ressonância magnética podem complementar o exame físico, auxiliando no diagnóstico e tratamento.

Segundo o cirurgião plástico Dr. Fernando Amato, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), o lipedema não cura, mas é uma condição em que é possível e necessário resgatar a qualidade de vida do paciente.

Tratamento do lipedema

O tratamento do lipedema é individualizado e depende do estágio da doença. As opções de tratamento podem incluir medicamentos, suplementos e vitaminas, dieta e terapias conservadoras como fisioterapia, drenagem linfática, uso de meias compressivas e controle do peso. 

“Quando nenhuma medida clínica apresentou mudanças, ou apresentou mudanças parciais, preferencialmente com estabilização dos sintomas, pode ser recomendado a realização da lipoaspiração, técnica cirúrgica para remover o excesso de gordura”, detalha o Dr. Fernando Amato.

No caso de lipoaspiração, o especialista explica sobre a importância em se respeitar os limites de gordura a serem retirados durante a cirurgia, que devem ser entre 5% e 7% do peso corporal do paciente. 

Saiba o que é linfedema

O linfedema está relacionado a uma falha no sistema linfático e se caracteriza pelo acúmulo anormal de líquido linfático em determinadas áreas do corpo como braços e pernas, causando inchaço persistente.

“O linfedema pode ter origem primária, ou seja, quando a pessoa já nasce com uma má formação congênita e que compromete os vasos linfáticos. O linfedema secundário pode ser causado por situações diversas, como cirurgias oncológicas, e processos inflamatórios e infecciosos que bloqueiam o fluxo normal do líquido linfático, causando o inchaço”, detalha Amato.

Tratamento do linfedema

O linfedema não tem cura, mas tem tratamento. A drenagem linfática manual, diferente da aplicada em centros de estética e realizada por especialista com conhecimento do sistema vascular e linfático, é uma das terapias indicadas.

Além disso, cuidados locais da pele e terapias de compressão também fazem parte do tratamento. “É muito importante ressaltar que o estágio mais avançado do lipedema podem cursar com linfedema por lesão dos vasos linfáticos pela inflamação crônica. Apesar de serem diferentes, podem acontecer juntos”, finaliza o especialista. 

Mais notícias como essa

Saúde

Saiba quanto tempo antes de dormir você deve parar de beber café e qual é a quantidade máxima de cafeína recomendada para não perder...

Beleza

Procedimento proporciona mais sustentação à mama e à prótese de silicone em mamoplastias e mastopexias; especialista explica

Amor e Sexo

Estudo realizado por aplicativo de relacionamento apontou a opinião de homens e mulheres sobre as camisas de time de futebol no date

Estilo de Vida

Está em busca de um amor para chamar de seu? Siga essas simpatias com batatas para conseguir o seu objetivo