Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
Blefaroplastia é um dos procedimentos mais populares no Brasil
Blefaroplastia é um dos procedimentos mais populares no Brasil - Foto: Shutterstock

Saúde

Blefaroplastia: conheça a cirurgia que reduz as pálpebras caídas

As pálpebras caídas te incomodam? Veja como é feita a blefaroplastia e quais são os cuidados após a cirurgia

A pálpebra caída — também chamada de ptose — é uma condição comum que pode impactar a autoestima, sobretudo, quando está associada ao envelhecimento natural da pele. Assim, muitas pessoas recorrem à blefaroplastia para tentar reduzir a flacidez das pálpebras. 

O procedimento, que está entre os mais procurados do país, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, pode tanto corrigir os problemas funcionais decorrentes do excesso de pele, como ajudar a rejuvenescer o rosto. 

“Nestes casos, ainda que limitada a região que será feito o procedimento, a cirurgia pode ajudar a diminuir os efeitos do processo natural de envelhecimento facial, onde a perda de volume dos músculos, gordura e pele acaba ocasionando a queda dos tecidos”, explica a cirurgiã plástica Dra. Chreichi L. Oliveira.

Quem pode realizar a blefaroplastia?

As cirurgias plásticas na região do rosto estão entre as mais queridas pelos brasileiros. A blefaroplastia, por exemplo, é realizada principalmente por quem está acima dos 40 anos. Contudo, a especialista ressalta que pessoas de todas as idades e gêneros podem recorrer a esse procedimento.

Como o procedimento é realizado?

O médico delimita o local em que será feita a cirurgia, que pode ser na pálpebra superior, inferior ou nas duas. Em seguida, faz cortes nas áreas delimitadas e retira o excesso de pele e gordura, e, depois, sutura. Essa cirurgia estética dura em média 60 minutos a 90 minutos e normalmente é feita sob anestesia local e sedação.

A cirurgiã explica que “o procedimento é simples e pouco invasivo, mesmo sendo em uma zona sensível do corpo. O tempo de internação para a blefaroplastia fica em torno de 12 horas. Para a realização desse procedimento é essencial a realização de exames de sangue, cardiológicos e em alguns casos testes ergométricos para garantir a segurança do paciente.”

Cuidados no pré-operatório

Antes da realização do procedimento, é importante conhecer os cuidados no pré-operatório. Abaixo, a profissional elenca os principais pontos:

  • Fazer exames exigidos pelo médico que garantirão a segurança durante o procedimento;
  • Informar ao seu médico qualquer medicamento que faça uso contínuo. Alguns podem ser ajustados ou suspensos durante algum tempo;
  • Respeite o período de jejum indicado pelo médico;
  • Não use maquiagem no dia da internação e evite acessórios (brincos, colares, etc); também retire cílios postiços.
  • Evite fumar e ingerir bebidas alcoólicas, o que auxilia na cicatrização rápida.

Cuidados no pós-operatório

De acordo com a especialista, a recuperação da cirurgia demora, em média, de uma a duas semanas e durante esse período a especialista recomenda seguir os cuidados abaixo:

  • Usar o colírio e tomar os medicamentos indicadas pelo cirurgião;
  • Manter-se em repouso relativo (pode caminhadas leves, mas evitar exercícios e esforço físico);
  • Não utilizar maquiagem nos olhos;
  • Colocar compressas frias sobre os olhos para reduzir o inchaço;
  • Utilizar óculos de sol quando sair de casa para proteger a região dos olhos da luz solar;
  • Permanecer afastado de suas atividades normais por pelo menos 72 horas.

Fonte: Dra. Chreichi L. Oliveira, cirurgiã plástica.

Mais notícias como essa

Horóscopo

Querendo saber de TUDO que os próximos sete dias prometem? Descubra agora, no Horóscopo Semanal do João Bidu

Finanças e Empreendedorismo

Ensinar educação financeira para crianças é um passo fundamental para prepará-las para a vida adulta

Receitas

Está com medo de fazer feijoada demais ou de menos para o almoço em família? Confira dicas para acertar nisso e no sabor do...

Saúde

De acordo com estudos recentes, apenas 4% a 9% das mulheres negras recebem diagnóstico de endometriose