Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
Férias escolares: saiba os cuidados com a alimentação das crianças
Pais devem estar atentos ao cardápio dos filhos nas férias - Foto: Shutterstock

Saúde

Férias escolares: 5 cuidados para ter com a alimentação das crianças

Especialistas explicam como cuidar dos hábitos alimentares das crianças nas férias escolares e evitar a obesidade infantil

As férias escolares mudam completamente os hábitos alimentares das crianças que, durante esse período, tendem a consumir mais produtos industrializados. Além disso, elas também passam maior tempo em frente às telas, o que associado a má alimentação contribui para o desenvolvimento de obesidade. 

De acordo com dados do World Obesity Atlas 2023, mais de 35 milhões de crianças e adolescentes têm obesidade em todo o mundo. Estima-se que até 2035, 49 milhões de meninos e meninas entre 5 e 19 anos estejam obesos.

Para a endocrinologista e presidente do Instituto da Pessoa com Diabetes, Angela Nazário, a educação alimentar é essencial para combater esse cenário. “As pessoas que estarão obesas no futuro são as nossas crianças e adolescentes de hoje. E lá na frente é muito mais difícil perder peso e recuperar a qualidade de vida. Por isso, é tão importante falar sobre a obesidade infantil, e os pais têm um papel fundamental na prevenção. Se os armários e geladeiras estiverem cheios de comidas saudáveis, as crianças terão uma alimentação melhor”, defende ela. 

Diabetes tipo 2 na infância

De acordo com o endocrinologista especializado em crianças e adolescentes, Mauro Scharf, que também integra o instituto, a obesidade na infância pode trazer consequências para a juventude e a vida adulta, entre elas, o diabetes tipo 2

“Uma das principais consequências da obesidade é o surgimento do diabetes tipo 2, caracterizado por uma resistência à ação da insulina no organismo, o que resulta em uma alta concentração de açúcar no sangue. É fundamental que os pais estejam em alerta, orientando e interferindo nos hábitos das crianças para evitarmos obesidade e, especialmente, tudo o que vem associado a ela”, alerta ele. 

O diabetes tipo 2 representa 90% dos casos de diabetes no mundo, e sempre foi mais comum em pessoas acima dos 50 anos. “Até 10 anos atrás a gente não tinha casos de diabetes tipo 2 em crianças. Isso era muito raro. Hoje a frequência de crianças com diagnóstico de DM2 é muito maior e preocupante. Sabemos que isso está relacionado à obesidade, o que significa que, além dos fatores genéticos, temos um problema na alimentação dessas crianças desde cedo”, afirma.

Planejamento é a chave

Para Thayná Guimarães, nutricionista do Instituto da Pessoa com Diabetes, o planejamento alimentar de toda a família é a melhor forma de cuidar da saúde das crianças. “Os pais são os exemplos para os filhos e são eles quem decidem quais alimentos entram em casa. O combate à obesidade infantil exige uma união e esforço de todos, o que, na verdade, só trará benefícios, tanto para os pais quanto para as crianças”, explica. 

Confira algumas orientações da nutricionista para otimizar a alimentação do seu filho nas férias escolares:

Convide seu filho para cozinhar

As crianças amam participar das atividades e colocar a mão na massa. Faça receitas caseiras e funcionais, substituindo o trigo por farelo de aveia, por exemplo, e chame seu filho para te ajudar na receita. Assim, é possível despertar o prazer pela comida feita em casa, e não industrializada. 

Deixe os alimentos saudáveis à vista

Quando bate a fome, a criança procura o que estiver mais perto e rápido para comer. Se os salgadinhos estiverem no seu campo de visão, ela com certeza irá escolher esse ao invés de uma fruta. Portanto, deixe esses alimentos já lavados e picados em potes para a criança, e mantenha os industrializados em prateleiras altas para ocasiões pontuais.

Modere o consumo de doces 

Se os doces e fast food já foram apresentados para seu filho, não adianta proibir. Na primeira oportunidade ele irá comer tudo em dobro. Portanto, crie um planejamento alimentar e coloque uma pizza ou guloseima em situações esporádicas, ensinando a equilibrar com refeições saudáveis. 

Respeite a saciedade da criança

É muito comum os pais obrigarem os filhos a comerem tudo o que está no prato, mas isso pode confundir a sensação de saciedade, fazendo com que a criança coma muito além do que realmente precisa. 

Consulte um especialista

A obesidade infantil é coisa séria e merece o tratamento adequado com acompanhamento médico e nutricional. Sendo assim, aproveite as férias escolares e leve seu filho para uma avaliação de um nutricionista e endocrinologista e incentive a alimentação saudável e a prática regular de atividade física.

Mais notícias como essa

Saúde

Uvas, azeitonas, nozes, sementes e pipoca são alguns dos alimentos que possuem maior risco de provocar engasgo em pessoas acima dos 60 anos

Beleza

Cuidados simples no dia a dia ajudam a manter os cabelos loiros hidratados e com muito brilho

Receitas

Está com medo de fazer feijoada demais ou de menos para o almoço em família? Confira dicas para acertar nisso e no sabor do...

Comportamento

Quer saber a importância de bons amigos na infância e como ajudar seu filho a conquistar isso? Especialista explica