Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
O que é estupro virtual? Entenda drama vivido por Karina em ‘Travessia’
Saiba o que é estupro virtual, crime abordado na novela “Travessia” - Foto: Shutterstock

Comportamento

O que é estupro virtual? Entenda drama vivido por Karina em ‘Travessia’

Caso similar ao abordado em novela já gerou condenação inédita no Brasil; advogada explica o que configura o crime de estupro virtual

A novela das 9 da TV Globo, “Travessia”, de Glória Perez, tem apresentado diferentes temas ao público, sobretudo relacionados à tecnologia. Um deles é o estupro virtual, abordado por meio de Karina (Danielle Olímpia). A jovem descobriu que um homem agia disfarçado na internet para obter imagens íntimas dela e ameaçá-la depois. 

Na cena exibida na última segunda-feira (03), Karina é chantageada pelo sujeito, que ameaçou divulgar as fotos que tinha dela para todos, caso ela não tirasse o vestido que estava usando ficasse nua para ele. Desde então, a garota vive com medo, e até desenvolveu traços de depressão e automutilação.

O que é estupro virtual?

O estupro virtual é uma variação do crime de estupro, previsto no artigo 213 do Código Penal. É o ato de “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”. O texto abre margens a interpretações, explica a advogada e consultora jurídica Dra. Lorrana Gomes. 

“O crime de estupro virtual não surge através de descrições legais do Código Penal e sim da interpretação da definição de estupro e sua atual adequação ao mundo virtual, onde entendeu-se que mesmo sem o contato físico, a presença de ambos no mesmo ambiente (virtual) já pode se enquadrar a prática como estupro.”

De acordo com ela, “as adaptações dos crimes são necessárias visto a adaptação da sociedade, onde os crimes cibernéticos são praticados hoje em uma proporção enorme”. Assim, o Direito vai se adaptando, trazendo novas normas e interpretações.

Condenação histórica

No estado do Rio Grande do Sul, uma condenação por estupro virtual foi alcançada em um caso envolvendo um jovem de 27 anos e uma criança de 10 anos. O abuso começou quando a criança acessou uma plataforma de conversas anônimas e conheceu o criminoso. A conversa se mudou para outras plataformas e o pedófilo fez solicitações sexuais para a criança através da câmera. 

Para buscar a condenação, o promotor usou a legislação brasileira, que define o estupro de vulnerável como o ato sexual com menor de 14 anos, e uma decisão do Superior Tribunal de Justiça, que decidiu que o contato físico não era necessário para a condenação por estupro de vulnerável. Bastava apenas que ambos estivessem no mesmo ambiente e que a ação de um satisfizesse o desejo sexual do outro.

Como denunciar

Apesar de muitas vítimas sentirem vergonha e medo, é importante denunciar o crime de estupro virtual à Justiça. O primeiro passo é registrar um boletim de ocorrência, reunindo o maior número de provas que conseguir, como prints de telas e mensagens

A registro pode ser feita tanto em delegacias comuns, como aquelas especializadas no atendimento à mulher ou em crimes cibernéticos. Há ainda outros meios, como pelo telefone 190 (Polícia Militar); 180 (Central de Atendimento à Mulher); ou 100 (Disque Direitos Humanos). Também é possível fazer a denúncia pelo aplicativo do Governo Federal ou pelo portal do Ministério das Mulheres.

Mais notícias como essa

Horóscopo

Querendo saber de TUDO que os próximos sete dias prometem? Descubra agora, no Horóscopo Semanal do João Bidu

Receitas

Os benefícios da beterraba para a saúde são vários; descubra alguns deles e como consumir esse alimento da melhor forma

Beleza

Transformações hormonais e emocionais no puerpério pode resultar em perda de cabelo para muitas mulheres

Saúde

De acordo com estudos recentes, apenas 4% a 9% das mulheres negras recebem diagnóstico de endometriose